Dust Bowl: O Caos da tempestade de areia.





Um desastre natural ou obra do homem?
Dust Bowl foi um período de grandes tempestades de areia que ocorreu nos Estados Unidos na década de 1930, e chegou a durar quase dez anos. Um desastre sem precedentes, afetou drasticamente o clima e tudo que existia na época. Um grande prejuízo ambiental e econômico. A seca veio em três grandes ondas, 1934,1936,1939-1940 e em algumas regiões das Planícies Altas a situação foi ainda pior, enfrentando a seca por mais de 8 anos seguidos.

A poeira era tão intensa que o dia virava noite rapidamente, tudo um caos, ninguém conseguia enxergar dois passos a frente.
Montanhas de terra se moviam rapidamente destruindo tudo que tocava e transformando tudo em um grande deserto, não existia mais a terra fértil, era só o pó.

Era 09 de maio de 1934, uma enorme tempestade de poeira se forma nas grandes planícies. Outras tempestades já tinham acontecido desde 1931, mas não com essa intensidade, e essa seria a primeira de muitas. Uma parede de terra se movia rapidamente, ganhando força a cada metro, chegando a atingir centenas de metros de altura. 
Milhões e milhões de toneladas de poeira se moviam no horizonte, parecendo ir até o céu. Os ventos eram tão fortes que podiam transportar a poeira por todo o continente até o oceano atlântico. A tempestade era tão densa que cobria o sol imediatamente. A noite a tempestade alcançou Chicago, onde despejou mais de 5 mil toneladas de terra, não se via mais nada. 
E continuou seguindo, atingindo cada vez mais lugares  (Boston, Buffalo, Nova York e Washington, DC). No final, havia terra das grandes planícies no oceano atlântico. Há relatos de pessoas em navios no mar que acordaram e perceberam uma grande camada de terra no deck. A tempestade havia chegado tão longe que ninguém conseguiria imaginar.

Sempre existiu épocas regulares de seca nas grandes planícies, mas tudo foi agravado pelo uso indevido do solo desde 1860, transformando a seca regular de todos os anos em uma catástrofe ambiental inimaginável.
As tempestades mudaram completamente o clima, criaram algo completamente novo, causando doenças, eletricidade estática forte o suficiente para derrubar qualquer pessoa, altas temperaturas, ventos de até 160 km/h, infestações de insetos e muitas mortes.

Ao longo de muitos anos o solo foi ficando fértil com uma camada grossa de grama e raízes que serviam de base para a sustentação do solo e deixando o solo embaixo da grama mais úmido. Uma imensidão de verde cobria o local, animais selvagens viviam livremente. Por centenas de anos as grandes planícies foram habitadas por búfalos e nativos americanos e em menos de duas décadas todos foram obrigados a sair, até que não existisse mais ninguém.
Tudo começou a dar errado em 1931, quando choveu bem menos do que era esperado. O solo já estava seco e sem as chuvas ficaria ainda pior. 

As planícies eram o sonho de qualquer fazendeiro, todo mundo adoraria ter um pedacinho daquela terra para plantar.
Foi quando em 20 de maio de 1862, o presidente Abraham Lincoln assinou a Lei da Propriedade Rural(Homestead Act). A jogada era atrair imigrantes e deu muito certo, pois o fluxo de imigrantes europeus que queriam tentar começar uma nova vida nos EUA aumentou drasticamente. Na época, a Europa sofria com as guerras e a população mais humilde sofria com a fome e o medo.
A Lei definia a posse de uma propriedade com 60 hectares a quem cultivasse por mais de cinco anos. 
Em 1910 todas as terras já estavam praticamente ocupadas, restando apenas as das planícies altas, onde grandes secas aconteciam de tempos em tempos. Para atrair as pessoas para essas terras mais difíceis, o governo dobrou o tamanho das terras para 129 hectares e ofereciam viagens de trem grátis para as planícies.

Eles achavam que se abrissem a terra o solo melhoraria e com o tempo a chuva viria.
Na época foram feitas muitas propagandas enganosas, foram divulgadas várias fotos de colheitas fartas no local, fotos de pessoas felizes em suas casas, tudo completamente falso.
Valia tudo para conseguir fazer com que as pessoas acreditassem que aquele local era realmente viável e não demorou muito tempo para que chegasse pessoas de todos os lugares, todos na esperança de uma nova vida. As pessoas nem tinham experiência com o cultivo, só estavam ali para receber seu pedacinho de terra. Foi assim que todos começaram a produzir mais e mais trigo, começaram a exportar o trigo e os preços estavam cada vez mais altos, a colheita estava bem valorizada na época.

Logo começaram a utilizar maquinários pesados para fazer a colheita mais rápido,  a grama havia sumido completamente embaixo das plantações de trigo. As famílias começaram a melhorar de vida, ter casas e carros, a cidade começou a prosperar, tudo estava a todo vapor. Quanto mais se plantava, mais se colhia...

Com a queda da bolsa de valores, tudo despencou junto. Os mais prejudicados foram os fazendeiros, pois o milho passou a valer alguns centavos. Os fazendeiros achavam melhor nem vender o seu produto, pois não valia nada. O mercado estava morto e ninguém sabia o que fazer e para completar, a seca chegou. Simplesmente parou de chover, tudo secou e se perdeu. A grama nativa das planícies havia sido removida para dar lugar ao trigo e diferente da grama, o trigo não era resistente a seca e a terra ficou completamente sem proteção.
Tudo morreu, todas as plantações foram perdidas, tudo estava beirando o caos por completo.
As famílias continuavam tentando plantar, aravam e plantavam e nada acontecia, nada crescia. Fizeram isso centenas de vezes até que o solo secasse completamente. 
De 7 a 30 cm de solo fértil ficaram expostos as altas temperaturas e ao vento. O vento começou a soprar e o solo começou a se soltar e a subir pelos ares e foi aí que tudo realmente começou. 
Os fazendeiros não tinham o conhecimento necessário para o plantio e os cuidados com a terra, não sabiam que se a terra não estivesse "coberta" ela voaria pelos ares. Começaram  aparecer as tempestades de areia e deixar tudo ainda mais seco. A tempestade mudou drasticamente o clima das planícies, transformando tudo em um enorme deserto.

As tempestades duravam horas, as vezes dias e todos eram  obrigados a ficar trancados dentro de suas casas.
Em 1935, as famílias foram forçadas a abandonar suas fazendas e viajar para outras áreas em diferentes cidades. As pessoas estavam em busca de trabalho para sustentar suas famílias, visto que o sustento de todos vinham das fazendas. 
As propriedades foram abandonadas ou tomadas pelos bancos e a pobreza se alastrou. 
Várias famílias foram embora em busca de emprego ou qualquer chance de sobrevivência, centenas de família ficaram pelas estradas em acampamentos sem água, sem nada, completamente na miséria.

Alguns moradores das planícies adoeceram e morreram de doenças respiratórias ou desnutrição, principalmente as crianças e idosos.
Como se já não bastasse a doença, as pessoas ainda tiveram que lidar com as pragas de insetos, que para fugir das altas temperaturas lá fora, entravam nas casas por todos os cantos. Nuvens de gafanhotos comiam os restos das plantações que sobraram, milhares de lebres se multiplicaram incessantemente, pois não tinham mais seus predadores naturais. Várias pessoas morreram devido a picadas de aranhas venenosas. 
As tempestades criaram eletricidade estática que era capaz de derrubar qualquer pessoa.
As correntes passavam pelos arames farpados, fazendo as pessoas levarem choques ao tocar.


Rapidamente a administração do presidente Franklin Delano Roosevelt, recém eleito, nos primeiros dias no cargo, iniciou programas de conservação do solo, restauração do equilíbrio, incentivou a compra do gado dos fazendeiros, pois os animais também estavam morrendo de fome e começaram a ensinar os agricultores a cuidar do solo da maneira correta.
Em 1937, o governo passou a adquirir terras e a criar várias áreas de conservação, replantando a pastagem nativa. 
Com o esforço conseguiram recuperar milhares de hectares e com a união dos produtores, conseguiram promover um uso mais racional de suas terras. 
O governo pedia ajuda de outros lugares, mas era uma época difícil, até fotógrafos foram contratados para tirar fotos das pessoas na miséria e espalhar pelo mundo para que todos tomassem conhecimento do que estava acontecendo. 
Com os anos as tempestades e a seca foram diminuindo e aos poucos alguns conseguiram voltar a produzir novamente.
"Migrant Mother", tirada por Dorothea Lange em 1936.
Foto apontada pela revista Life como uma das 100 Fotografias que Mudaram o Mundo.

Nos tempos de hoje ainda existem cidades que nunca se recuperaram das tempestades de areia da década de 1930. 
Muitos lugares foram completamente abandonados.



**Curiosidades**
-Com a quantidade de areia de uma tempestade dava para encher milhares de caminhões que daria uma volta no planeta duas vezes.

-Em 1933, mais de 70 tempestades de areia atingiram a cidade de Goodwell, Oklahoma.

- Em 1935 a crise de saúde era tão grande que a Cruz Vermelhava abriu mais de 6 hospitais de emergência.

- Mais de 10 mil pessoas participaram de uma caçada as lebres e conseguiram exterminar mais de 35 mil em apenas um dia. 

- Como se já não bastasse tudo que estava acontecendo, ainda teve vários charlatões querendo se aproveitar da miséria e desespero dos outros. Ainda apareceu gente dizendo "que sabia fazer chover", claro que por uma boa quantia de dinheiro.
Infelizmente as pessoas estavam tão desesperadas na época que muitas caíram no golpe.





Fontes:
History:  Dust Bowl/Acesso em: 10 de agosto de 2019
PBS/American Experience: The Drought/Acesso em: 10 de agosto de 2019
Living History Farm/ Acesso em: 10 de agosto de 2019
The Dust Bowl Fotos/ Acesso em: 10 de agosto de 2019
Dust Bowl References/ Acesso em: 10 de agosto de 2019